sábado, 2 de março de 2013

A Colonização Inglesa e a Independência dos Estados Unidos da América


A Colonização Inglesa e a Independência dos Estados Unidos da América
Conflito: Colônia x Metrópole (Século XVII)

       Fugindo das perseguições religiosas e das dificuldades econômicas, comunidades inteiras de protestantes emigraram para América do Norte, instalando-se na costa leste (Atlântico);
       Entre os objetivos, estava erguer-se um “novo lar”, autônomo, o que ia contra as ideias do governo de explorar as terras coloniais;
       Grandes diferenças na forma de colonização dos espanhóis e portugueses;
       Efetiva colonização começou em 1607, em Jamestown, Virgínia;

Três Formas de Colonização:

       Governo inglês concedia a companhias de comércio interessadas em explorar o “Novo Mundo” cartas regias autorizando-as a implantar colônias;
       O rei dava extensões de terra a famílias nobres e pessoas ricas, dando-lhes poderes para governar;
       Grupos formados atravessavam o Atlântico e criavam na América do Norte uma nova sociedade política, semi independente da Inglaterra (ocorreu na atual região de Massachusetts em 1620, onde desembarcaram os primeiros puritanos vindos no navio Mayflower).

As Treze Colônias



       Em pouco tempo as pessoas se apoderaram das terras que eram dos índios. Houveram muitas lutas entre colonos e índios, onde estes foram dizimados ou obrigados a migrar para o interior;
       Em 1680 a população somava 250 mil habitantes, um século depois chegou a 1,5 milhão;
       As treze colônias da América do Norte pertenciam à Inglaterra em meados do século XVIII e apresentavam características distintas (idioma, por exemplo);
                Com a deposição do rei Carlos I, em 1649, muitos senhores puritanos ricos defensores da monarquia absolutista seguiram para essa região da América do Norte, onde se tornaram grandes proprietários de terra. Isso contribuiu para uma sociedade conservadora e que ostentava sua riqueza nas colônias sulistas.

                *O puritanismo designa uma concepção da fé cristã desenvolvida na Inglaterra por uma comunidade de protestantes radicais.

       A região Norte, chamada de Nova Inglaterra, tornou-se abrigo de pessoas pobres que fugiam das perseguições religiosas e da miséria que sofriam em sua terra natal. A educação era uma das prioridades de seus habitantes, tanto que em 1635 era lei que houvesse uma escola primária em qualquer centro urbano com mais de 50 casas. Desenvolveu-se ali uma produção agrícola baseada na policultura e na pequena e média propriedade rural. Destacaram-se extração de madeira e peles, e também, havia um dinâmico comércio com a região das Antilhas e regiões africanas. Diferente do Brasil colonial, não havia proibição de comércio com estrangeiros.

       As colônias do centro reuniam aspecto de todas as outras. Caracterizavam-se por sua sociedade cosmopolita e heterogênea, formada por ingleses, holandeses, escoceses, irlandeses, alemães e suecos. Haviam desde pequenas propriedades rurais  a grandes latifúndios e agricultura mais variada do que em outras regiões. Também existia um expressivo comércio de exportação de madeiras, peles, peixes e importação de vinho e açúcar.

       As colônias do Sul foram ocupadas por pessoas mais pobres: artesãos, agricultores e aventureiros em busca de enriquecimento rápido. Desenvolveu-se uma produção agrícola mais voltada para  o mercado externo (tabaco e algodão), baseada nas grandes propriedades rurais, Plantations, e na utilizaçao do trabalho escravo africano. No século XVIII os escravos eram quase 40% da população local sulista. Por serem mais dependentes da metrópole eram menos favoráveis e conservadores sobre um rompimento com a Inglaterra. Posteriormente aderiram ao movimento independente para que se pudesse prosseguir com seus comércios sem cobranças abusivas de taxas da metrópole.

Comércio Triangular



Com o desenvolvimento da colônia norte-americana, desenvolveu-se o comércio com outros continentes, surgindo o chamado Comércio Triangular que envolvia  Europa, África e América com foco no tráfico negreiro. A Europa fornecia produtos como algodão, ferro, armas e rum, em troca de escravos, que tinham como destino às Américas. Quando chegavam às novas terras eram comercializados com os colonos, e acabavam sendo vendidos aos donos de jazidas e plantações, e trocados por produtos como algodão, ouro, tabaco e açúcar.

O Autogoverno (self-government)

                Embora subordinadas as leis inglesas as 13 colônias possuíam certa autonomia para resolver assuntos internos, principalmente no Centro-Norte. No século XVIII as relações entre colônias e metrópole foram se deteriorando em por conta das fortes imposições dadas pelo governo inglês que proibia, por exemplo, que houvessem fábricas que pudessem concorrer com indústrias britânicas. Além disso todas as mercadorias deveriam ser transportadas somente por navios ingleses e estas mercadorias não podiam ir para outros países além da Inglaterra.

Os Colonos se Revoltam

       As insatisfações se intensificam com o fim da “Guerra dos Sete Anos”, entre Inglaterra e França (1756-1763) por disputa de novas terras. A guerra deixou os britânicos com muitas dívidas. Assim foram aprovadas cobranças altíssimas de impostos sobre: papéis, vidro, metais, chá ...

           Lei do Açúcar: (1764) proibia a importação de rum e cobrava taxas sobre a importação de açúcar (melaço) que não viesse das Antilhas Britânicas;
            Lei do Selo: (1765) cobrava taxas sobre os diferentes documentos comerciais, jornais, livros, anúncios, etc.;
            Lei dos Alojamentos: (1765)  exigias que os colonos oferecessem alojamento e alimentação às tropas inglesas que estivessem em território norte americano;
           Lei do Chá: (1773) concedia monopólio de venda de chá nas colônias à Companhia das Índias Orientais (empresa inglesa) para combater o contrabando. Em 1773 um navio da Companhia foi atacado no porto de Boston. Disfarçados de índios, os colonos invadiram e lançaram a carga ao mar.
               
       Os colonos começaram a boicotar produtos da metrópole. O governo cedeu e manteve apenas o imposto do chá, que também foi contestado, assim passaram a consumir o chá contrabandeado da Holanda. Em 1773 um navio da Companhia Britânica das Índias foi atacado no porto de Boston. Disfarçados de índios, os colonos invadiram e lançaram a carga ao mar.

       O governo desfaz o parlamento interno das colônias e cria as LEIS INTOLERÁVEIS.

Leis Intoleráveis:

       1. uma guarda armada na do porto de Boston até que todos os prejuízos do lançamento do carregamento de chá ao mar fossem indenizados;

       2. suspensão das reuniões das colônias de Massachusetts;

       3. O impedimento de toda e qualquer manifestação pública contra a metrópole;

       4. Que todos os julgamentos de crimes cometidos em território americano fossem a critério das autoridades britânicas em suas propriedades;

       5. Que os colonos estavam obrigados a proporcionar alojamento e estada de soldados britânicos em suas propriedades;

       6. A redução das colônias norte-americanas em favor da ampliação do território canadense;

       7. A colônia de Massachusetts foi ocupada por tropas do exército britânico;

       Em setembro de 1774, as colônias de unem e criam o PRIMEIRO CONGRESSO CONTINENTAL, na Filadélfia. Decidiram enviar ao rei George III e ao parlamento inglês uma petição para que as Leis Intoleráveis fossem revogadas.

O Nascimento de Uma Nação

        Algumas semanas antes do segundo Congresso Continental, tropas britânicas apoiadas pelos legalistas entraram em conflito com os patriotas;

        O rompimento com a metrópole havia firmado um governo informal para as 13 colônias onde foi aprovado um Exército Continental Americano, para lutar contra os ingleses, comandado por George Washington;

        Em julho de 1776, Jonh Adam, Benjamin Franklin e Thomas Jefferson entregam ao comitê do Congresso Continental Americano a Declaração dos Direitos de Independência  das 13 colônias, agora chamada de Estados Unidos da América. Começa aí a guerra de independência.

       França, Holanda e Espanha, interessados no enfraquecimento britânico, apoiam os EUA e enviam seus exércitos para apoia-los.

        Em 1781 o último exército inglês foi derrotado. Sendo assim, foi assinado em Paris o acordo de paz, onde foi reconhecida formalmente a independência dos EUA por parte da Inglaterra.

       Em homenagem à luta pela sua independência, os franceses presentearam os EUA com a estátua da liberdade.

       Em 1788 foi promulgada a primeira Constituição que encontra-se em vigor até hoje (com algumas emendas);

       Com influências iluministas o novo país tornou-se República onde os poderes de Estado seriam divididos entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário;

       Os direitos civis, políticos, opinião e liberdade religiosa dos cidadão eram assegurados;

                Por todo prestígio e participação, George Washington foi escolhido como primeiro presidente.
                Executivo: executar, as leis e a agenda diária do governo ou do Estado.
                Legislativo: é o poder de legislar, criar leis.
             Judiciário: A função do Poder Judiciário, no âmbito do Estado democrático, consiste em aplicar a lei a casos concretos, para assegurar a soberania da justiça e a realização dos direitos individuais nas relações sociais.

Cidadania Para Poucos

       O direito de liberdade que constava na Declaração de Independência não valia para todos. Os escravos foram mantidos (até 1865), os índios também não foram favorecidos, as mulheres não tinham os mesmos direitos civis dos homens pois era considerada um ser frágil.

Quem exercia os direitos do cidadão?

Homens, adultos, brancos , pertencentes a burguesia industrial e comercial e o grupo de fazendeiros proprietários de escravos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário